Mais um novo ano que começa e mais uma lista de objetivos que você se propõem alcançar durante o ano.

Como se costuma dizer: “De boas intenções está o inferno cheio”.

Na verdade, o que acontece, é que você chega ao final de cada ano e olha para trás e se apercebe que a maior parte dessas intenções acabam por nunca sair do papel, não é verdade? Mas se isso não bastasse, mais uma vez esses objetivos são “transferidos” para o novo ano que se avizinha.

Acredite, eu sei o quanto isso é frustrante!

Se isto acontece consigo, não fique desanimado: se você escreve as resoluções de ano novo, fique a saber que já é uma pessoa que está acima da média. Contudo, segundo um estudo realizado por um psicólogo Britânico (consulte aqui: artigo ), apenas 10% das pessoas alcançam as suas resoluções definidas para o novo ano.

Antes de fazer a minha formação em Coaching eu não era capaz de perceber quais os motivos pelos quais eu próprio não alcançava uma boa parte dos meus objetivos. Hoje em dia, os motivos são claros para mim!

Neste artigo vou partilhar consigo, não só, os motivos pelos quais você não alcança as resoluções para o novo ano, mas também os objetivo que você se propões a alcançar na sua vida em geral.

 

6 razões pelas quais você não consegue atingir os seus objetivos

1. O seu objetivo não é específico

O primeiro erro que normalmente é cometido quando se definem objetivos é o facto de estes não serem formulado de forma clara e específica. Eis alguns exemplos de objetivos que não são específicos:

  • “Vou correr regularmente”,
  • “Quero perder peso”,
  • “Quero mudar de emprego”,
  • …etc.

Pegando no exemplo do objetivo “Vou correr regularmente”, você pretende fazer algo que na realidade é vago: você pode correr uma vez por mês ou uma vez por semana, …todos dias, ou 3 vezes por semana, etc.

Se isso não está claro para você, e se assumirmos que o facto querer correr exige que você crie esse hábito, torna-se difícil se você não definir essa regularidade de forma mais especifica.

Para sermos específicos e perceber, não só o quanto falta para atingirmos esse objetivo e quando é que o atingiremos, temos de obrigatoriamente quantificar esse objetivo.

Pegando no exemplo anterior, um objetivo específico seria “Correr 5km, 3 vezes por semana”.

Agora fica mais fácil, porque você sabe que para atingir o seu objetivo você tem que correr com a regularidade semanal: 3 vezes por semana e que, mesmo não sendo capaz de correr os 5km neste momento, você vai se esforçar por aumentar a cada treino um pouco mais a distância que correu anteriormente.

Contudo podemos tornar este objetivo ainda mais poderoso com a dica que se segue no ponto 2.

 

2. Não ter uma data definida

Se você tem um sonho e lhe adiciona uma data, você passa a ter um objetivo, caso contrário não passará disso mesmo, …um sonho!

É fundamental você definir uma data para alcançar o seu objetivo. Desta forma, você conseguirá criar um plano concreto de forma a perceber quais os passos que terá de dar tendo em conta a data em que se propões alcançar, de forma a aumentar as possibilidades de alcançar o seu objetivo. Com uma data definida você fica mais comprometido com o seu objetivo, evitando a armadilha do “fazer amanhã, o que você deveria fazer hoje”.

 

3. Definir objetivos irrealistas

 

Este é um dos aspetos que condena à partida as suas possibilidades de atingir os seus objetivos. Por exemplo, se você é uma pessoa que nunca correu de forma regular, e está 20kg acima do seu peso ideal, assume o objetivo: “Correr uma maratona completa, dentro de 6 meses”. Considerando que uma maratona são 42 km, este objetivo pode ser bastante desafiador pelo facto de você ter de perder peso, tornar-se capaz de correr de forma regular e além disso aumentar a distância que consegue correr a cada semana.

Ok, você definiu o objetivo e não considerou, de forma consciente todos esses fatores,  o que provavelmente vai acontecer é que você vai cabar por desistir.

Se por outro lado você definiu um objetivo mais enquadrado nas suas próprias possibilidades, como por exemplo: “Até 10 de Março conseguir correr 5km, 3 vezes por semana”, e você acaba por conseguir alcançar esse objetivo no período definido, você vai sentir motivado a definir um objetivo mais desafiador: “Conseguir correr uma meia maratona até ao fim do ano”.

Ao dividir os seus objetivos em metas mais pequenas, torna-se mais fácil ser bem sucedido naquilo que quer alcançar, uma vez que isso vai permitir que você alimente a sua motivação à medida que vai conseguindo concretizar cada meta.

Acima de tudo lembre se de festejar cada vitória por mais pequena que seja e assim a sua motivação e o seu arrojo vão aumentando.

 

4. Falta de um motivo sólido para o alcançar os seus objetivos

Quantas vezes você se propôs a alcançar um determinado objetivo só porque sim?

Quando os objetivos são desafiadores, torna-se necessário ter presente os motivos que o levam a si a querer alcança-los e aquilo que você perde  no caso de não alcançar os seus objetivos.

Se esses motivos forem suficientemente grandes, você passa então a ter a motivação necessária para fazer acontecer.

A motivação não é mais do que você ter presente os motivos que o levam a desejar alcançar o seu objetivo.

Se você delinear por exemplo, que o objetivo que você quer alcançar é “perder 5kg de peso” pelo simples motivo que que emagrecer, dificilmente conseguirá ser bem-sucedido.

O mais importante é você ter sempre presente o que ganha em alcançar isso. Talvez você pretenda se sentir mais feliz quando se olha ao espelho, sentir-se mais atraente para sua esposa, ter mais mobilidade e energia para brincar com os seus filhos ou vestir aquela roupa que você usava à 10 anos atrás.

Por outro lado, o que o move poderá ser o que você poderá perder em não conseguir atingir o seu objetivo: está na iminência de ter graves problemas de saúde, como diabetes, enfarte, AVC, etc.

Lembre-se:Tenha sempre presente as perdas e os ganhos no que diz respeito a cada um dos seus objetivos.

 

5. Você é um bom contador de historinhas

O ser humano tem uma tendência natural para ser incoerente, isto porque nem sempre o que diz que vai fazer, acaba por não fazer e vice-versa.

Isto acontece quando chegou a hora de arregaçar as mangas e começar a trilhar o caminho com destino ao objetivo, ou quando o seu objetivo, acaba, na realidade, por se tornar um grande desafio.

É neste ponto que você acaba por vestir a personagem do bom contador de histórias.

Você já reparou que você sempre acaba por arranjar uma bela história para não fazer o que tem de ser feito?

Tudo isso não passam de desculpas que você conta repetidamente para si e para os outros que o rodeiam, pelo simples facto, de que isso faz com que você não se sinta tão mal por não fazer o que deveria fazer:

“…hoje não é um bom dia porque estou um pouco caçado…”,

“…esta não é altura ideal para arrancar com o meu negócio, porque o país está em crise…”,

“…a minha esposa não me apoia…”,

“…afinal já estou velho para isto…”.

Se queremos ser bem-sucedidos, temos de assumir a responsabilidade pela nossa vida, ponto-final! Isso significa que em última análise cada um é o responsável pelos resultados que obtêm.

Embora não tenhamos o controlo dos aspetos externos, temos o poder de decidir o que fazer em relação a isso, ao encontrarmos, de forma proactiva, os caminhos alternativos e soluções aos desafios que vão surgindo na nossa vida.

 

6. Ter múltiplos objetivos

Você é daqueles que faz uma folha cheia de objetivos para alcançar no novo ano e assim que termina o ano você alcançou muito poucos ou nenhum? 🙂 neste momento estou a sorrir, porque eu era assim!

Hoje em dia somos bombardeados por uma quantidade infinita de informação e distrações que vão desde a TV, redes sociais, smartphone, emails, jornais, etc. Manter o foco no seu dia-a-dia é um verdadeiro desafio.

Além disso caímos no erro de achar que somos multitarefa e que podemos lidar com muitas coisas ao mesmo tempo. Nada podia estar mais longe da verdade!

O mesmo se passa com o facto de querermos alcançar vários objetivos ao mesmo tempo.

Foque-se, de preferência no menor número possível de objetivos, para que mantenha o seu foco. Isto torna-se ainda mais importante quando os seus objetivos são desafiadores e requerem de si muita energia e tempo.

Se você tem necessidade de saltar entre diferentes objetivos, de forma a leva-los para a frente todos ao mesmo tempo, você está gastar toda a sua força de vontade e perderá, rapidamente, o seu foco e a eficácia.

Estas 6 razões são aquelas que mais frequentemente levam as pessoas a não alcançarem os seus objetivos e em grande medida foram essas mesmas razões com as quais me debati ao longo de quase toda a minha vida. Desta forma ao partilhar consigo estes aspetos, acredito que o caminho para os seus sonhos estará muito mais facilitado, ao evitar estas 6 armadilhas.

Um excelente ano, cheio de realizações pessoais e profissionais.

São os meus votos.

O Coach, Marcelo Silva.

 

P.: Se gostou deste artigo, por favor partilhe com os seus amigos!

Leave A Comment

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.