No artigo de hoje vamos nos debruçar nas 5 razões que te têm impedido de viveres a tua vida de forma mais entusiasmada e realizada.

De uma forma geral podemos dizer que existem 3 tipos de pessoas:

  1. Os que não sabem qual é o seu propósito de vida
  2. Os que sabem qual é o seu propósito mas não vivem alinhado com ele
  3. E os que já vivem alinhados com o seu propósito

Neste ponto vamos centrar-nos nos tipos de pessoa que não sabem e naqueles que sabem mas não vivem o seu propósito.

1. Não sabem qual é o seu propósito

A razão mais óbvia que impedem as pessoas de viverem hoje uma vida estimulante e realizada é o facto dessas pessoas estarem a viver a sua vida sem um propósito claro, ou seja sem terem algo que as faça levantarem-se da sua cama todos dias e que dê um sentido à sua existência.

O facto de não saberem qual é o seu propósito é a principal razão para uma vida insatisfatória.

Imagina que és o comandante de um barco e não sabes qual é o teu destino, simplesmente ficas à deriva na imensidão do oceano, e acabas sendo empurrado ao sabor das marés e dos ventos.

Quem não tem um propósito na vida acaba por viver a sua vida em função dos outros e das circunstâncias da vida.

 

2. Sabem qual é o seu propósito mas não fazem acontecer

Obviamente que não basta saber qual é o teu propósito e aquilo que dá sentido à tua vida, é necessário vencer algumas barreiras que para alguns são naturalmente vencidas pois são movidos pelas suas paixões, mas para outros que se deixaram enrolar  de tal forma pela sua vida que se torna desafiante sair desse estado isso acontece principalmente pelas seguintes razões:

2.1 Estar acomodado na vida

Existem essencialmente 2 razões para ocorrer a mudança: pela dor ou pelo prazer.

O problema surge quando estamos entre estes dois pontos em que a dor não é suficiente forte, ou o prazer não é suficientemente reduzido para mudarmos.

E é neste estado que surgem as pessoas que estão acomodadas e que vivem uma vida morna e conformada.

Ou seja a sua vida não está boa, mas também não está má e daí a vida ser minimamente suportável. É como se vivêssemos anestesiados e por isso a pessoa não se sente estimulada o suficiente para agir e mudar o rumo da sua vida.

2.2 Viver pela razão e não pelo coração

Quem nunca escolheu uma formação ou um trabalho porque era a opção, que à partida, lhe garantiria melhores possibilidades de sucesso ou de emprego?

Eu compreendo que este raciocínio é perfeitamente legitimo, contudo, a longo prazo, quando a fatura for demasiado difícil de pagar, pelo facto de de se estar a trabalhar numa área que não desperta qualquer entusiasmo ou prazer, essas pessoas vão ficando cada vez mais desmotivadas, insatisfeitos e infelizes com o seu trabalho, sem perceber que isso se deveu a essas escolhas.

A escolha pelo lado da razão deve ser sempre uma opção de curto prazo e não de longo prazo.

Se tivessem seguido a opção do coração seria possível escolher ou até mesmo criar as condições necessárias para que pudessem construir ou optar por um caminho profissional, muito mais alinhado com as suas paixões o que levaria a entrar frequentemente num estado de FLUXO.

O estado de FLUXO, é um estado em que ficamos entusiasmados com aquilo que estamos a fazer no momento, de forma natural, leve e prazerosa.

É estar frequentemente motivado com aquilo que se está a fazer sem darmos pelo tempo passar.

Com que frequência tu entras neste estado no teu dia-a-dia?

2.3 Viver de fora para dentro

Viver de fora para dentro é quando as pessoas fazem as suas opções de vida assentes nas expectativas dos outros e da sociedade em geral e não daquilo que deveria ser a sua própria expetativa pessoal.

Isto acontece porque a pessoa não se conhece verdadeiramente, nomeadamente as suas paixões, valores, habilidades e acima de tudo o seu propósito.

É como aquele fulano que deseja ser feliz e que acredita que quando ganhar um salário bastante elevado e que quando alcançar determinado cargo na empresa vai ser feliz.

Para ter esse resultado ele trabalha incessantemente, por longas horas, 6 dias por semana e abdica do seu tempo com a sua família para perseguir o seu objetivo.

Quando finalmente é promovido e ganha uma elevada soma de dinheiro, dá-se conta que a sua família está destruída e a sua saúde está arruinada. Ele achava que TINHA de ter um determinado cargo com um salário elevado para SER feliz.

Esta atitude é na realidade viver de fora para dentro.

Por outro lado, quando vivemos de dentro para fora: nós primeiro SOMOS e depois é que surgem os resultados na nossa vida.

A pergunta chave neste ponto é questionar-se: “Que pessoa preciso de me tornar para alcançar os meus objetivos”. Com certeza você precisa de se tornar na pessoa que vive o seu propósito.

Shawn Achor, no seu livro “O Jeito Harvard de Ser Feliz” refere que as pessoas acreditam que “Se pudéssemos encontrar aquele emprego dos sonhos, ter mais uma promoção, perder aqueles três quilos, a felicidade viria.

Contudo segundo as descobertas recentes na área da psicologia têm-se verificado que o que acontece na realidade é o contrário: “(…) é a felicidade que impulsiona o sucesso, e não o contrário. Quando somos positivos, o nosso cérebro se envolve mais, torna-se mais criativo, motivado, energizado, resiliente e produtivo no trabalho”.

E eu acrescento a isto que a melhor forma de ser feliz é descobrir o seu propósito e viver alinhado com ele.

2.5 As crenças

As crenças que cada um trás dentro de si são um dos principais fatores que condicionam os resultados que cada pessoa obtém na vida.

As crenças são como um software de um computador.

Por exemplo: tu podes ter um computador topo de gama, mas se o software que tens instalado no teu computador contiver erros de programação a performance e os resultados serão limitados ou até mesmo disfuncionais.

As crenças são formadas principalmente na nossa infância e são um resultado da educação dos nossos pais e familiares bem como do nosso contexto social e escolar.

Se tu sabes qual é o teu propósito e aquilo que te apaixona, mas acreditas que não és capaz viver disso, é porque provavelmente tens uma ou mais crenças que te fazem acreditar que é impossível viveres a fazer aquilo que realmente amas fazer.

* * *

E tu, com quais destas razões te identificas mais? Quais são as que te impedem de avançar na direção de uma vida mais entusiasmante, próspera e feliz?

O poder está sempre nas tuas mãos.

Decide hoje mesmo mudar o rumo da tua vida. Isso não significa mudar radicalmente, mas sim fazer pequenas mudanças todos os dias e de forma consistente. É esta atitude que te vai levar numa nova direção, e obter resultados diferente na tua vida.

Leave A Comment

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.